Voltar aos artigos

A loucura (2020)

Grupo Reinserir

A loucura é o corte num plano orientado. O conjunto de elementos que ali estão orientados numa linearidade, recebem um corte, deixam então de ter sua função e se sentem ridicularizados. Afinal, que coitadinhos (risos) estavam ali, quadrados, sustentando tudo, e são atravessados assim, por algo que nada quer saber disso, que não gasta sua língua pra isso. Pobre linearidade neurótica. Tão frágil em relação à loucura.

A loucura não consegue coexistir numa concepção de higiene proveniente do higienismo, porque é uma construção social que nada tem ligação com limpeza ou saúde. Essa noção faz então dá dita sujeira, um símbolo de protesto e da loucura, porque a loucura do louco está em tudo. É a marca da unha, da bosta, no azulejo branco e no estofado do quarto solitário do manicômio.

Ali, naquele recinto, o recinto do higienismo, uma realidade esteticamente orientada já existe desde os primórdios da geometria euclidiana. Ali, azulejos lado a lado numa noção de ordem e linearidade. Se orientam para crer que há um início e um fim. A noção de ciclos não é uma noção da natureza, mas uma distorção que fazemos para encaixar a natureza na linguagem humana.

Tudo que sai da loucura. O simples respingar da urina no chão, é subversivo, porque é a constante aplicação da não linearidade e do caos ao sistema panoptico/neurótico. Lembra aos humanos então o ordem que a natureza possui, que tanto negamos com a visão positivista dos ciclos e das leis: a perfeita ordem que há no caos de um saber enigmático.

De certa forma a loucura mija e caga na cara de azulejo desses mestres cíclicos e desses saberes reducionistas, pois a fraqueza deles é essa. Qualquer símbolo que seja o significante do desejo, da loucura, da infância, do enigma e da sexualidade, produzem o colapso da razão.

O azulejo branco do manicômio e a merda que escorre é o microcosmo do que significa não só a ascensão e colapso da instituição manicomial, mas a própria ascenção e colapso do monólito do racionalismo e suas reminiscências.

A loucura fabricada dos manicômios é o contramovimento em relação ao enbranquecimento e redução da natureza.